A FSB deteve pesquisadores do Centro Nuclear da Federação Russa por usar um supercomputador para minerar bitcoin

E estamos de volta. Desta vez para dar uma notícia sobre a Rússia.

E é daqueles momentos que só temos algo a dizer. Sim, é a Rússia sendo Rússia.

Autoridades da Rússia detiveram alguns funcionários das instalaçõses do Centro Nuclear da Federação Russa porque são suspeitos de tentarem usar um supercomputador da estrutura para minerar Bitcoin. Sim, amigos, ESTAVAM USANDO UM SUPERCOMPUTADOR PARA MINERAR BITCOIN.

Como houveram picos nos valores das criptomoedas é lógico que as organizações criminosas seriam atraídas para este nicho e o setor continua a criar cada vez mais malwares para este fim com diversos vetores de infecção que usam os ciclos de processamento das máquinas dos usuários.

E nos últimos dias estamos vendo uma série de empresas de segurança descobrir botnets enormes que foram usadas para minerar criptomoedas.

E esta semana especialistas de segurança da Radiflow, que é uma fornecedora de soluções de segurança para infra-estruturas críticas, descobriram que uma rede de fornecimento de água foi o primeiro caso de infecção deste tipo em uma rede SCADA que foi usada para minerar Monero.

“A Radiflow que é uma fornecedora de de soluções de segurança para infra-estruturas críticas anunciou hoje que a empresa revelou o primeiro ataque documentado de malware que minera criptomoedas em uma rede SCADA que opera a infra-estrutura crítica”, de acordo com o comunicado de imprensa.

A Radiflow revelou que o malware de criptomoedas foi projetado para ser executado em modo furtivo em um sistema de destino ou até mesmo desativar o software de segurança do computador.

“Os ataques de malware de criptomoedas envolvem um consumo grande de CPU e consumo de largura de rede o que pode ameaçar a estabilidade e disponibilidade dos processos físicos de um computador que funciona como operador da infra-estrutura crítica”, explicou Yehonatan Kfir, CTO da Radiflow.

“Embora se saiba que os ataques de ransonware foram direcionados a rede OT, este novo ataque de malware de criptomoedas em uma rede de OT traz grandes ameaças pois ocorre em modo furtivo e pode permanecer não detectado por muito tempo.”

Uma infecção por este tipo de malware em redes ICS e SCADA pode ter muito impacto pois aumenta o consumo de recursos afetando os tempos de resposta dos sistemas usados para controlar os processos nos ambientes.

Enquanto esta história ganhava os noticiários a agência de notícias russa Interfa informou que vários cientistas do Centro Nuclear da Federação Russa ( também conhecido como Instituto de Pesquisa de Física Exprimenta na Rússia) foram presos por autoridades pois estavam usando recursos de computação do laboratório para mineração de critpmoedas.

O laboratório de pesquisa nuclear está localizado em Sarov e em 2011 este centro implantou um supercomputador teraflop.

Os cientistas são acusados de ter abusado do poder de computação de um dos supercomputadores mais poderosos da Rússia localizado neste centro nuclear para minerar … Bitcoins ( cara, povo burro, porque não usaram para minerar Monero … ).

E os caras são ninja na falta de noção. O supercomputador normalmente está isolado da internet mais os pesquisadores foram descobertos ao tentar conectá-lo com a rede mundial dos computadores.
O serviço Federal de Segurança ( FSB ) prendeu os mesmo no meio do processo ( noobies, muito noobies ).

“Houve uma tentativa não autorizada de usar as instalações informáticas para fins privados incluindo a chamada mineração”, disse Tatyana Zalesskaya, chefe do serviço de imprensa do instituto a agência de notícias Interfax.

“Suas atividades foram interrompidas a tempo. Estes quase mineradores foram detidos pelas autoridades competentes. E pelo que eu sei foi aberto um caso criminal envolvendo os mesmos.”

Ou seja, tentaram minerar, foram pegos e se ferraram.

Muita falta de noção para um lucro que nunca existiu.